A famigerada “Dança” do Créu.

Mais Cordéis

A famigerada “Dança” do Créu.

Waldeck de Garanhuns

Meus amigos atenção
vamos fazer escarcéu
pois a praga já chegou
mostrando a cara sem véu
a coisa é famigerada
para o mal da garotada
chegou a dança do créu.

Chamar aquilo de dança
chega a ser um sacrilégio
pois dança é coisa divina
e dançar é um privilégio.
Aquilo é um rebolado
safado e mal acabado
um ato de sortilégio.

Tanta obscenidade
sem motivos sem razões
fruto da mediocridade
de imbecis fanfarrões
desprovidos de talento
com pensamento nojento
iludindo as multidões.

Esses falsários da arte
têm que ser abolidos
gravadoras não deviam
gravar esses atrevidos.
Se as rádios não tocassem
televisões não mostrassem
eles seriam banidos.

Mas a mediocridade
não está só em quem faz
a maior parte das rádios
com isso se satisfaz
divulgando a excrescência
que junto com a prepotência
a maledicência traz.

A televisão propaga
dando fama futurista
a qualquer um imbecil
que se arvora de artista
impondo uma ditadura
fazendo a anticultura
em atitude fascista.

Tem TV e Rádio boa
pois nem todas são assim
somente as mercantilistas
divulgam coisa ruim
denegrindo as coisas boas
imbecilizam as pessoas
em um medíocre festim.

Essa praga se espalha
por entre a população
que se influencia fácil
por falta de educação.
Nós temos que educar
nosso povo pra pensar
e ao que ruim dizer um não.

Quem tem má educação
vê e ouve o que não presta,
ainda acha que é bom
e disso faz uma festa.
Por não ter conhecimento
consumir o “excremento”
apenas é o que lhe resta.

Nossa má educação
só nos traz dificuldade,
não se vive por inteiro
só se conhece a metade.
Coisas boas desprezamos
sem perceber mergulhamos
na cruel mediocridade.

Com essa realidade
o povo vive ao léu
em aglomerados loucos,
nem olha mais para o céu!
Perde sensibilidade
e dá oportunidade
para a miséria do créu.

Esse tipo de “arte” faz
muita gente se iludir
porque isso não é arte
só chega pra confundir.
É oriundo do mal
não é intelectual
por isso tem que sumir.

Muita gente pode achar
até que sou radical
porém está enganado
o que eu não gosto é do mal.
A cultura popular
deve se manifestar
mas não de modo banal.

O novo é muito legal
mas quando vem com beleza,
e não de modo obsceno
fomentando a incerteza,
sem ter sentido e sem nexo
banalizando o sexo
desmantelando a pureza.

Eu tenho muita tristeza
quando vejo a criancinha
induzida por adultos
a remexer a bundinha,
em gestos sexuais
medíocres, feios, banais,
com essa dança daninha.

E essa coisa mesquinha
entra em nossas escolas
e em algumas encontra
professores sem cacholas,
que fazem a criançada
dançar a famigerada
remexendo as “rabicholas”.

A escola deveria
ser a primeira a barrar
esse tipo de costume
e à criança ensinar
o lado bom da cultura
pra formar na criatura
a lucidez do pensar.

A escola deve ter
a responsabilidade
de afastar nossas crianças
dessa mediocridade.
Combater os maus costumes
e espargir os perfumes
da moral e da verdade.

Atrás dessa improbidade
outras piores virão,
se nós os educadores
não dermos toda atenção,
a fim de realizar
uma mudança sem par
através da educação.

Só se faz uma nação
soberana, em bom estado
com ética e honestidade
povo bem alimentado
escola que ensine bem
saúde por um vintém
e um povo muito educado.